SO 10ºANO » MÓDULO 2 - SISTEMA OPERATIVO CLIENTE

SISTEMAS OPERATIVOS

1. Sistema operativo cliente (Desktop)

O sistema operativo cliente é o sistema operativo desenhado para desktops ( PC) ou dispositivos portáteis. Este sistema operativo é tipicamente diferente dos servidores central


izados, porque suporta apenas um utilizador.

Um computador de mesa é único e não necessita de quaisquer redes ou componentes externos para operar.

Os SmartPhones e alguns computadores pequenos têm instalado um SO Cliente. Este SO é capaz de gerir os componentes do dispositivo tais como câmeras, impressoras, monitores, etc.

Alguns computadores podem usar vários sistemas operativos. Esta funcionalidade é considerada uma configuração dual boot. Quando um computador é construído deste modo, pode ser configurado para executar os dispositivos específicos para cada configuração do sistema operativo. Ter dois sistemas operativos dá ao utilizador acesso a mais programas de software.

Hoje em dia existem muitos sistema operativos projetados para computadores cliente. Estes incluem Windows®, Linux®, e Mac® Android ®. 

Cada sistema operativo é projetado para funcionar com hardware específico. Esta compatibilidade de hardware é uma das principais considerações ao selecionar um sistema operativo para computadores cliente.

Há muitas versões freeware de Linux® disponíveis para computadores desktop. Este sistema operativo cliente fornece multiprocessamento  a um custo mínimo. A maioria das configurações dos sistemas operativos Linux requer o conhecimento de engenharia de sistema especializada. Este processo de instalação não é projetado para o utilizadores sem experiência.

Windows® é um dos sistemas operativos clientes mais amplamente usados. Este sistema operativo tornou-se popular com a introdução do Windows® 95.


2. Virtualização

Apesar de ser uma ideia antiga (o seu surgimento deu-se na década de 1960,propagando-se com mais força a partir de 19709), a virtualização é extremamente importante para o mundo cada vez mais "digital" de hoje.Podemos definir o conceito como soluções computacionais que permitem a execução de vários sistemas operativos e dos seus softwares específicos a partir de uma única máquina, seja ela um desktop convencional ou um potente servidor.

É como se deparasse com um ou mais computadores distintos dentro de um só. A diferença é que estas máquinas são virtuais: na prática, oferecem resultados como qualquer outro computador, mas existem apenas logicamente, não fisicamente.

Cada máquina virtual traduz-se um ambiente computacional completo: praticamente todos os recursos do sistema operativo podem ser utilizados, é possível ligar a uma rede, instalar aplicativos, etc.

Uma das razões para o surgimento da virtualização é que, anos atrás, na época em que osmainframes dominavam o cenário tecnológico e não havia computadores pessoais, por exemplo, não existia a praticidade de "adquirir, instalar e usar um software" - este era acompanhado de bibliotecas e outros recursos que o tornavam quase exclusivos ao computador para o qual foi desenvolvimento originalmente.

Desta forma, muitas vezes uma organização que implementava um novo sistema via-se obrigada a adquirir um equipamento apenas para executá-lo, em vez de simplesmente aproveitar o existente, deixando toda a operação mais cara.

A virtualização conseguiu resolver este problema: pode-se aproveitar um computador já existente para executar dois ou mais sistemas distintos, já que cada um funciona dentro da sua própria máquina virtual. Evita-se, assim, gastos com novos equipamentos e aproveita-se os possíveis recursos ociosos do computador.

Nos dias de hoje, a virtualização permite, por exemplo, que uma empresa execute vários serviços a partir de um único servidor ou até mesmo que um utilizador doméstico teste um sistema operativo no seu computador antes de efetivamente instalá-lo. Do ponto de vista corporativo, o seu uso atual destina-se a várias aplicações, como sistemas de ER (Enterprise Resource Planning), serviços de computação nas nuvens, ferramentas de simulação, entre muitos outros.


Benefícios da virtualização

- Melhor aproveitamento da infraestrutura existente: ao executar vários serviços num servidor ou conjunto de máquinas, por exemplo, pode-se aproveitar a capacidade de processamento destes equipamentos o mais próximo possível de sua totalidade;

- O parque de máquinas é menor: com o melhor aproveitamento dos recursos já existentes, a necessidade de aquisição de novos equipamentos diminui, assim como os consequentes gastos com instalação, espaço físico, refrigeração, manutenção, consumo de energia, entre outros. Imagine o impacto que esta vantagem pode ter em um data center, por exemplo:

- Gestão centralizada: dependendo da solução de virtualização utilizada, fica mais fácil monitorar os serviços em execução, já que a sua gestão é centralizada;

- Implementação mais rápida: dependendo da aplicação, a virtualização pode permitir a sua implementação mais rápida, uma vez que a infraestrutura já está instalada;

- Uso de sistemas legados: pode-se manter em uso um sistema legado, isto é, antigo, mas ainda essencial às atividades da companhia, bastando destinar-lhe uma máquina virtual compatível com o seu ambiente;

- Diversidade de plataformas: pode-se ter uma grande diversidade de plataformas e, assim, realizar testes de desempenho de determinada aplicação em cada uma delas, por exemplo;

- Ambiente de testes: é possível avaliar um novo sistema ou uma atualização antes de efetivamente a implementar, diminuindo significativamente os riscos inerentes a procedimentos do tipo;

- Segurança e confiabilidade: como cada máquina virtual funciona de maneira independente das outras, um problema que surgir numa delas - como uma vulnerabilidade de segurança - não afetará as demais;

- Migração e ampliação mais fácil: mudar o serviço de ambiente de virtualização é uma tarefa que pode ser feita rapidamente, assim como a ampliação da infraestrutura.


Como funciona a virtualização ?

Uma solução de virtualização é composta, essencialmente, por dois "protagonistas": o hospedeiro (host) e o hóspede ou convidado (guest). Podemos entender o hospedeiro como sendo o sistema operativo que é executado por uma máquina física. O hóspede, por sua vez, é o sistema virtualizado que deve ser executado pelo hospedeiro. A virtualização ocorre quando estes dois elementos existem.

A forma como hospedeiro e hóspedes trabalham varia conforme a solução. Num método bastante comum há a figura do VMM (Virtual Machine Monitor - Monitor de Máquina Virtual), que também pode ser chamado de hypervisor: trata-se de uma espécie de plataforma implementada no hospedeiro que recebe os sistemas a serem virtualizados, controlando os seus recursos e mantendo-os "invisíveis" em relação aos outros.

Para que possa fazer o seu trabalho, o VMM tem um tratamento diferenciado: pode ser executado no "modo supervisor", enquanto que programas comuns (aplicativos) funcionam no "modo utilizador".

No "modo supervisor", o software pode requisitar instruções que lidam diretamente com certos recursos hardware, como funcionalidades específicas do processador. No "modo utilizador", estes recursos mais críticos não podem ser acedidos diretamente, cabendo ao sistema operativo, que trabalha em "modo supervisor", fazer uma espécie de intermediação quando necessário.

VMM tem que ter acesso privilegiado porque compete-lhe alocar os recursos a serem utilizados por cada máquina virtual sob a sua responsabilidade, assim como determinar a ordem pela qual cada solicitação destas será atendida.

O hóspede é executado em "modo utilizador", mas como a máquina virtual possui um sistema operativo, qualquer requisição de instrução mais crítica solicitada por este é "interceptada" pelo hypervisor, que se encarrega de a fornecer.


Como Criar uma Máquina Virtual no VMWare Player

VMware Player é um programa gratuito que virtualiza facilmente qualquer versão do sistema operativo Windows e Linux. Seja descarregando máquinas virtuais diretamente do site da VMware ou criando a sua própria, é possível utilizar o Sistema operativo virtualizado.

O virtualizador da VMware consegue controlar todos os componentes do PC para prover uma experiência completa. Assim, poderá utilizar normalmente o mouse, teclado, drive de CD/DVD, entradas USB e a ligação de rede.

Se tiver mais do que uma máquina virtual, pode abri-las uma por vez ou simultaneamente caso o PC tenha memória física suficiente. Nas configurações, basta dedicar uma quantidade razoável para cada máquina de modo a que o PC fique com RAM disponível.

 


Imagem ISO

ISO é um formato de arquivo que contém todas as informações sobre o conteúdo de um CD ou DVD, seja ele de áudio, vídeo ou dados.

É Compatível com vários programas.a funcionalidade deste formato é ser simples: basta abri-lo num programa para poder gravar este conteúdo ou até mesmo executá-lo sem a necessidade de um drive fisíco.

Uma imagem ISO compreende uma série de arquivos reunidos num só. Antes, somente programas específicos gravavam uma imagem em DVD ou CD. Hoje, praticamente todos os programas gravadores são capazes de interpretar este conteúdo e gravá-lo.

Todos os dados de uma imagem ISO são mantidos sem nenhum tipo de compressão. Isso significa que o tamanho de um arquivo ISO representa o tamanho real que é ocupado em um CD ou DVD.


Outras informações, como código de boot, estruturas e atributos também fazem parte de uma imagem. Essas características fazem deste formato uma alternativa válida para a distribuição de softwares, por exemplo. Em vez da confecção e distribuição de uma "mídia" físico, basta transferir este conteúdo pela internet ou por um ambiente de rede.

A sigla ISO vem de International Organization for Standardization (Organização Internacional para Padronização) e vem do sistema de arquivos ISO 9660, usado em CDs e DVDs. Este formato também é compatível com o sistema Mac OS X, mas a extensão utilizada neste caso é CDR.

Softwares para aceder e criar imagens ISO:

Virtual CloneDrive, o CD Anywhere e o MagicDisc.

 

ATIVIDADE 1 - CRIAR UMA IMAGEM ISO

 

Download:

http://www.magiciso.com/download.htm (Magic Iso Maker - para criar a imagem)

http://www.magiciso.com/tutorials/miso-magicdisc-overview.htm (MagicISO Virtual CD/DVD-ROM para emular o drive)


Para instalar o MagicIso no Windows 8 tem que ativar "Disable driver signature enforcement":

http://harrietlawrie.blogspot.pt/2014/04/how-to-get-magic-disc-to-work-in.html

 1º Proceda ao Donwload e à instalação do Magic Iso Maker (Ver Tutorial)

2º Inicie a aplicação (Ver Tutorial)

3º Crie um iso de dados (Ver Tutorial)

4º Proceda ao Donwload e à instalação do MagicIso (Ver Tutorial)

5º Aceda ao conteúdo da imagem criada (Ver Tutorial)


3. Windows 7

https://www.youtube.com/watch?v=m3BrTmMPV4M

ATIVIDADE 2 - CRIAR UMA MÁQUINA VIRTUAL DO WINDOWS 7

 

1º Obtenha a imagem ISO do DVD de instalação do Windows 7

2º Inicie o VMWARE PLAYER e siga o tutorial (Ver Tutorial)


4. WINDOWS X86 VS WINDOWS X64

O x86 e o X64 referem-se à arquitetura do sistema. 
A arquitetura x86 corresponde a sistemas de 32 bits. O x64 corresponde a sistemas de 64 bits.

Um Processador de 64 bits tem um poder de processamento maior que um de 32 bits dado que pode manusear ao mesmo tempo, o dobro de bits que um de 32 bits . 
Os x64 podem endereçar muita memória que os 4GB de memória que os x32endereçam.


Os 32bits e os 64bits indicam os bits internos que o processador possui, ou seja, representa o montante de bits com que o processador consegue trabalhar em simultaneao.

Quando falamos de processadores de 32 e 64 bits, estamos a indicar os bits internos que o processador possui. Ou seja a quantidade de instruções com que o processador consegue trabalhar simultaneamente. Um processador de 32bit consegue manipular números de valor até 4.294.967.296 numa única operação. Tratando-se de um número exato, se o valor for superior o processador terá que realizar duas operações, fazendo o dobro do trabalho e tomando mais tempo. Já um processador de 64bit, pode manipular exatamente 18.446.744.073.709.551.616 numa única operação. Esse número é obtido através de uma conta muito simples, basta fazer 2 elevado à quantidade de bits internos do processador.

Processador de 32Bit: 2^32 = 4.294.967.296

Processador de 64Bit: 2^64 = 18.446.744.073.709.551.616


5. REQUISITOS DE SISTEMA DO WINDOWS 7

Windows de 32 bits e 64 bits: Perguntas mais frequentes
https://support.microsoft.com/pt-pt/help/15056/windows-7-32-64-bit-faq#1TC=windows-7

EDIÇÕES DO WINDOWS 7

Starter
É versão mais básica do W7, não oferecendo recursos com o efeito Aero Glass, disponibilizados a partir do Windows Vista. 
É interessante o uso dessa versão em notebooks, netbooks e computadores de baixo custo, pois apresenta-se mais leve do que as versões mais completas. 
Essa versão só foi comercializada em alguns países.

Home Basic
A Home Basic é a versão destinada ao utilizador doméstico, apresenta recursos que não estão presentes na versão Starter como, por exemplo, a possibilidade de criar redes. 

Home Premium
O Windows 7 Home Premium permite criar facilmente uma rede local e partilhar todas as fotografias, vídeos e músicas. 
Esta versão é bem mais poderosa do que a Home Basic, oferece recursos adicionais como o Windows Media Center, uma excelente ferramenta para gerir os arquivos e criar biblioteca. Outro recurso interessante é Grupo Doméstico, onde o utilizador pode gerir com facilidade todos os recursos de uma rede. 
O Windows 7 Home Premium oferece suporte para ecrã tátil.

Professional
Esta versão é direcionada a pequenas empresas, oferecendo recursos que facilitam a comunicação dentro de uma rede empresarial, além de sistemas para reforçar a segurança. Para a comunicação entre computadores em redes, estão disponíveis as tecnologias Location Aware Printing e Domain Join, que facilitam tanto a comunicação entre os computadores como a partilha de recursos de rede. 
Outro recurso muito útil é o Modo XP, que possibilita a instalação e execução de aplicativos desenvolvidos para o Windows XP, sendo uma excelente opção quando o assunto é compatibilidade. 

Ultimate
É a edição mais versátil e poderosa do Windows 7. Combina os incríveis recursos fáceis de usar do Home Premium e os recursos comerciais do Professional, incluindo a possibilidade de se executarem vários programas de produtividade do Windows XP no Modo Windows XP. Para maior segurança, é possível criptografar os dados com o BitLocker e o BitLocker To Go. E, para ainda mais flexibilidade, é possível trabalhar em 35 idiomas. 

Esta é a versão mais completa de todas, contando com todos os recursos das versões anteriores e muitos outros. Esta versão é direcionada a grandes corporações, pois o seu preço é mais elevado. Além disso, a utilização desta versão por utilizadores comuns não é interessante porque muitos dos recursos adicionais nunca serão utilizados por utilizadores domésticos, sendo estes, digiridos para o público empresarial. 


6. GUIA PARA CONFIGURAR/PREPARAR O WINDOWS 7
(APÓS A INSTALAÇÃO)

ativar o windows 7

Ative o Windows 7 usando a chave que adquiriu da Microsoft. 
Para ativar o Windows 7, clique no botão direito do rato no ícone do 
Computador> Propriedades (ou use as teclas Windows + Pause / Break que também abre as propriedades do sistema), desloque a página para ver o link Ativar o Windows agora (Activate Windows Now). 
Clique no link e selecione a opção Ativar Windows Online(Activate Windows Online). Será solicitado a digitar a chave e assim sua cópia do Windows 7 será ativada.

Executar o Windows Update

Instale todas as atualizações disponíveis via Windows Update.

Instalar um antivírus

4º Instale 2 BROWSERS alternativos ao INTERNET EXPLORER.

Teste a 11 Browsers - Qual é o melhor navegaqdor?
http://pplware.sapo.pt/informacao/teste-a-11-browsers-qual-e-o-melhor-navegador/

Instale os plugin essenciais à navegação WEB

Um plugin é um programa instalado no browser que permite a utilização de recursos não presentes na linguagem HTML, na qual são criadas as páginas.

Um exemplo comum de plugin é o Flash Player que é um visualizador de programs escritos em flash. Este plugin é usado quando for necessário executar um programa em flash no (como banners animados, jogos ou os vídeos doYouTube).

Outro muito comum é o plugin para Java. É uma programa que permite executar aplicações Java muito usadas pelos sites para criar teclados virtuais e outros.

Além destes há uma variedade enorme de plugins como o instalado pelo Adobe Reader para exibição de arquivos PDF e o QuickTime para exibição de vídeos.

6º Instale o java

O que é a Tecnologia Java e porque preciso dela?

Java é uma linguagem de programação e plataforma computacional lançada pela primeira vez pela Sun Microsystems em 1995. Existem muitas aplicações e sites que não funcionarão, a menos que você tenha o Java instalado, e mais desses são criados todos os dias. O Java é rápido, seguro e confiável. De laptops a datacenters, consoles de games a supercomputadores científicos, telefones celulares à Internet, o Java está em todos os lugares!

O download do Java é gratuito?

Sim, o download do Java é gratuito. Obtenha a última versão no site java.com.


7. Criar e formatar uma partição de um disco rígido

http://windows.microsoft.com/pt-pt/windows/create-format-hard-disk-partition#create-format-hard-disk-partition=windows-7


8. A linha de comandos

Algumas aplicações e configurações do Windows estão escondidos. Uma forma rápida de aceder a estas funções do Windows é executá-las via a linha de comandos (Iniciar > Executar ou a  tecla de atalho Win+R).

Lista de comandos para Windows 7

  • appwiz.cpl - Adicionar ou Remover programas
  • calc - Calculadora
  • certmgr.msc - Gerenciador de certificados
  • charmap - Abre o mapa de caracteres
  • chkdsk - Verifica o disco rígido
  • cleanmgr - Limpeza de disco do Windows.
  • cmd - Prompt de comando
  • compmgmt.msc - Gerenciamento do computador
  • control - Painel de Controle
  • control userpasswords - Contas de usuário
  • control folders - Opções de pasta
  • control netconnections - Conexões de rede
  • control schedtasks - Tarefas agendadas
  • desk.cpl - Propriedades de vídeo
  • devmgmt.msc - Gerenciador de dispositivos
  • dfrg.msc - Desfragmentador do Windows
  • dxdiag - Ferramenta de diagnóstico do Directx
  • eudcedit - Editor de caracteres particulares
  • explorer - Windows Explorer
  • iexplore - Internet Explorer
  • firewall.cpl - Firewall do Windows
  • inetcpl.cpl - Propriedades de internet
  • intl.cpl - Opções regionais e de idioma
  • magnify - Lente de aumento
  • main.cpl - Propriedades de mouse
  • mmc - Console de gerenciamento Microsoft
  • mmsys.cpl -  Propriedades de som
  • mrt - Ferramenta de remoção de software Mal-intencionado
  • msconfig - Utilitário de configuração do sistema
  • msinfo32 - Informações do sistema
  • mspaint - Paint do Windows
  • narrator - Microsofft Narrator
  • notepad - Bloco de notas
  • ntbackup - Utilitário de backup
  • osk - Teclado Virtual
  • perfmon - Desempenho do sistema
  • regedit - Editor de registro
  • schedlgu.txt - Log das Tarefas agendadas
  • services.msc - Serviços do Windows
  • sfc /scannow - Proteção de arquivos do Windows
  • sndrec32 - Gravador de som
  • sysdm.cpl - Propriedades do sistema
  • sysedit - Editor de configuração do sistema
  • taskmgr - Gerenciador de tarefas
  • wiaacmgr - Assistente de Scanner e Câmera
  • winver - Versão do Windows
  • wscui.cpl - Central de Segurança
  • wupdmgr - Windows Update

 


9. O comando cmd

Debug (debug.exe) é um comando que foi criado no início dos anos 1980 e acompanhou os sistemas operativos  DOS (MS-DOS, PC-DOS, OS/2). O comando continuou a ser incorporado em diversas interfaces e sistemas operativos posteriores como o Windows 3.1Windows 95Windows 98Windows NTWindows XPWindows Vista 32 bits, Windows 7 32 bits.

Acede-se ao comando pelo shell  (cmd), porém foi removido do Windows Vista e Windows 7 de 64 bits, bem como no Windows 8 de 32 e de 64 bits.

Nos sistemas Microsoft Windows encontra-se na pasta %windows%\system32.

O CMD abre o que era a antiga interface do DOS (antes do aparecimento do windows). Hoje essa janela é muito usada por técnicos para diagnosticar o computador e também para a reparação do Windows quando o ambiente gráfico não quer funcionar. 
Porém a maior utilidade é para diagnosticar problemas com a ligação à internet.


Comandos do Prompt de Comando (CMD)

O interpretador de comandos pode ser acionado digitando-se CMD no menu Iniciar/Executar. Consoante a versão do windows  pode também ser encontrado no item Acessórios do Menu iniciar. 

Para exibir o CMD em full screen digite Alt+Enter.
Clicando no ícone que se encontra em cimaà esquerda, surgem as propriedades da janela tais como escolher o layout, cores, fontes, etc.

Para localizar texto, fazer scroll, selecionar texto, copiar e colar, deve clicar com o botão direito do rato dentro da própria janela e escolher a opção no menu que abre.

A instrução /t:fg permite alterar as cores do interpretador de comandos.

Por exemplo, digite cmd /t:0D para a janela ficar com as letras em branco num fundo azul.
O f representa a cor do fundo e o g a cor do texto.

Cores:

0 – preto
1 – Azul
2 – Verde
3 – Cian
4 – Vermelho
5 – Roxo
6 – Amarelo
7 – Branco
8 – Cinza
9 – Azul claro
A – Verde claro
B – Cian claro
C – Vermelho claro
D – Roxo claro
E – Amarelo claro
F – Branco claro

 


COMANDOS do MS-DOS

dir

- Visualizar a relação de ficheiros e pastas

opções:

/A 
/B 
/C 
/D 
/L 
/N 


copy

-  permite copiar um ou mais ficheiros de uma pasta para outra

Ex: copy g:*.* c:

Ex: copy g:ficha1.doc c:\documentos

O comando copy também pode ser usado para fazer uma cópia (duplicado) de um mesmo arquivo para outro com outro nome.

Ex. copy ficha1.pdf ficha2.pdf

Wildcards

O prompt do windows suporta o uso de wildcards nos comandos copy, dir, del e outros. Estes caracteres substituem partes do nome do ficheiro.

.? – substitui qualquer letra no nome do ficheiro
.* – substitui o nome do arquivo ou parte dele

Exemplos:

copy *.txt fará a cópia de todos os ficheiros .txt e não apenas de um arquivo específico
copy a*.doc copiará todos os arquivos .doc que começam com a letra a.


move

- permite mover ficheiros e também renomear pastas.

Ex: move *.txt c:\textos

Ex: move textos docs


md

- serve para criar uma nova pasta

Ex: md teste


cd

- navegar nas pastas ou deslocar-se de uma pasta para outra

Ex: cd teste

Ex:
cd/
cd windows
cd system

ou

cd /windows/system

Cd .. permite voltar à pasta anterior


rd

- remover diretórios


del

- apagar ficheiros


ren

- renomear ficheiros


time

- acertar o relógio


MANUAL DO MSDOS